Acerca de Famílias Anónimas

  • Têm por finalidade o esclarecimento e a interajuda de familiares e amigos de pessoas com problemas relacionados com o consumo de substâncias que alteram o comportamento.

  • Utilizam um Programa baseado em «12 Passos», «12 Tradições» e vários lemas, à semelhança do que acontece com os “Alcoólicos Anónimos” ou com os “Narcóticos Anónimos”, só que as “Famílias Anónimas” se destinam a familiares e amigos e não aos próprios adictos.

  • Embora os «12 passos» e as «12 tradições» constituam uma base espiritual para estudo por parte dos Grupos FA, o programa FA não é um programa religioso, estando pois, aberto a todos, independentemente de se ser ou não crente. O entendimento que cada membro das FA tenha de um Poder Superior é uma escolha pessoal e privada.

  • A atenção dos membros das FA deverá concentrar-se nos seus próprios sentimentos e atitudes e não em tentativas de modificar a pessoa cujo comportamento as fez aderir às FA. A experiência mostrou que o melhoramento conseguido pelos membros das FA é importante para a recuperação dos seus familiares ou amigos que sofrem de doença relacionada com a dependência de químicos.

  • Assim nas reuniões dos Grupos FA, os debates devem centrar-se nas próprias experiências dos seus membros e no tema específico de cada reunião.

  • O anonimato é um dos princípios básicos do Programa FA, razão pela qual apenas são usados os primeiros nomes e as histórias contadas nas reuniões ou entre membros não são para ser repetidas fora delas.

  • Não é preciso pagar jóia ou quotas para se ser membro das FA. Cada grupo suporta-se a si próprio, ajudando ainda ao funcionamento dos Serviços Mundiais das FA e Associação Portuguesa de Famílias Anónimas, por meio de doações veiculadas através do Conselho Nacional de Serviço (e do intergrupo quando exista) e com venda de literatura própria.